O presidente Jair Bolsonaro, no Palácio do Planalto. Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil

O presidente Jair Bolsonaro reclamou de cobranças para providências imediatas na economia e disse que não tem “apego à cadeira presidencial”, durante conversa com apoiadores no Palácio da Alvorada, em Brasília, nesta sexta-feira 12. Bolsonaro comentava sobre a alta no preço dos combustíveis, que tem repercutido mal entre caminhoneiros.

O presidente se disse “chateado” e afirmou que “só com fuzil na mão” seria possível solucionar determinados problemas da economia com rapidez.

“Não adianta dar pancada em mim”, afirmou. “Da maneira como querem que eu tome providência, eu vou, por exemplo: quer emagrecer cinco quilos? Te emagreço agora, corto o seu braço. É o que os caras querem que a gente faça.”

“Não tenho apego àquela pipoca daquela cadeira presidencial que tem lá. É uma desgraça aquele negócio, mas é uma missão. Enquanto Deus permitir, eu vou estar lá.”

Fonte: Carta Capital