Em conversa com apoiadores em frente ao Palácio da Alvorada, o presidente Jair Bolsonaro se explicou sobre sua carta em tom de pacificação.

Ontem, após diversos ataques ao STF, Bolsonaro recuou e divulgou uma “Declaração à Nação”.

O memorando foi escrito pelo ex-presidente Michel Temer.

Muitos bolsonaristas ficaram revoltados com a atitude de seu ídolo, que passou meses convocando para os atos golpistas e, na hora H, arregou.

No começo da conversa no cercadinho, com os nervos à flor da pele, eles não deixavam o presidente falar.

Os seguranças de Bolsonaro precisaram acalmar o gado para que Bolsonaro pudesse se justificar.

“O que acontece? O cara não lê a nota e reclama. Leia a nota duas ou três vezes, é bem curtinha”, pediu ele.

“A gente vai acertando o acúmulo de lixos e problemas em 30, 40 anos”, afirmou, jogando a culpa do seu fracasso nos outros.

Ao final da fala, bastou elogiar os apoiadores para que eles voltassem a puxar seu saco.

“Foi excepcional o trabalho de vocês”, disse o mandatário, para delírio dos bolsonaristas.