Fábrica chinesa de baterias de lítio, mineral estratégico da transição energética. – AFP

Estima-se que, durante os próximos anos, as empresas que detiverem os melhores projetos de lítio dominarão o mercado das baterias de carros elétricos, atualmente sob posse boliviana     

Uma equipe de pesquisa realizou uma viagem à Bolívia no final de agosto de 2021 para encontrar líderes em instalações estatais de lítio, com intuitivo de convencê-los de que a empresa EnergyX possui uma tecnologia que pode atender a todo o potencial da Bolívia, com o objetivo de se tornar uma real potência global de energia verde. Porém, ao chegarem no país boliviano, a equipe descobriu que a reunião havia sido cancelada, além de terem sido barrados por seguranças no local. De qualquer forma, a equipe se deparou com um gigantesco mar calcário de salmoura, localizado no alto dos Andes, chamado Salar de Uyuni, que é muito rico em lítio, além de outros minerais importantes que são essenciais na fabricação de baterias para carros elétricos.

Breve história do mar calcário Salar de Uyuni e visão da EnergyX 

Ao se deparar com as salinas rodeadas por equipamentos enferrujados, além de tanques de produção vazios e diversas bombas desacopladas de canos, o presidente-executivo da EnergyX, Teague Egan, considerou que o local estava abandonado, e relatou que lá seria a nova Arábia Saudita. 

Mas se tratando da história do Salar de Uyuni, os indígenas quéchuas relatam que aquela área de 4 mil quilômetros quadrados de salinas eram formadas pela mistura do leite materno de uma deusa e pelas lágrimas salgadas de seu filho. Para Egan, a área das salinas é uma beleza branca pura até onde os olhos podem ver. 

Bolívia possui alto potencial de estar entre os países mais procurados para aquisição de lítio. China, Rússia e EUA já investem no local

A Bolívia possui um quarto das reservas mais conhecidas de lítio no mundo e, além disso, tem grande potencial para estar entre os vencedores da busca mundial pelas matérias-primas essenciais para deixar de fazer uso de petróleo, gás natural e o carvão nessa árdua batalhava contra a mudança climática. 

Algumas empresas de China, EUA e Rússia estiveram em competição nos últimos meses para aplicar seus projetos-piloto de lítio no salar, dentre elas, quatro empresas da China e uma empresa da Rússia, que são os países que possuem relações muito mais amigáveis com o governo da Bolívia do que os EUA. 

Com a revolução da energia oriunda de fontes renováveis, diversos empreendedores esperam se inserir e ajudar no setor energético, assim como fez Elon Musk, da montadora Tesla. Já Egan e alguns outros que estão no início de sua trajetória buscam sua primeira chance em lugares ricos em minerais, assim como a Bolívia, a República Democrática do Congo e o Pacífico Sul. Além do setor energético, o lítio é essencial para a fabricação de baterias para carros elétricos. 

Pesquisadores brasileiros avançam no desenvolvimento de baterias de lítio-oxigênio que poderá ser fabricada sem recorrer a materiais nobres ou de alto custo

Pesquisadores brasileiros estão avançando na criação dos catalisadores necessários para que as baterias de lítio-oxigênio sejam otimizadas. As baterias ganham destaque pela sua capacidade de armazenar mais energia do que as convencionais, mas ainda é necessário aprimorar sua ciclabilidade e a quantidade de recargas que o componente permite, definindo sua vida útil. 

De acordo com o professor da Unicamp e do CINE, Gustavo Doubek, o trabalho colabora para a construção de uma bateria de lítio-oxigênio com melhor eficiência de ciclos, sem precisar de materiais nobres ou de alto custo. 

O funcionamento das baterias de lítio-oxigênio, que está sendo desenvolvida por pesquisadores brasileiros, é baseada na reação de íons de lítio com o oxigênio do ar. Quando a eletricidade da bateria é usada, a reação gera um peróxido de lítio, entre outros compostos. 

Entenda melhor sobre o lítio 

O lítio (Li) é um elemento químico e componente básico de baterias íon-lítio, que permite o fluxo de correntes elétricas. Por ser considerado o metal mais leve e possuir longa vida, além de ter grande capacidade de armazenamento e fácil recarga, estima-se que a demanda deve aumentar nos próximos anos, com o objetivo de abastecer uma frota de carros elétricos e também de gerar um grande armazenamento de energia renovável para a rede elétrica.

Fonte: Click Petroleo e Gás