O ex-ministro Ciro Gomes (PDT) classificou como “politicagem” a reunião entre o presidente Jair Bolsonaro, ministros, alguns governadores e chefes de outros Poderes, em que foi anunciada a criação de um comitê para o enfrentamento à pandemia do novo coronavírus.

“Bolsonaro está na antessala de cair porque é um genocida, assassino, irresponsável e incompetente. Só que ainda está na Presidência, portanto, precisamos orientar o debate. Os governadores não foram chamados para essa reunião, isso é mentira. Ele só chamou os mais simpáticos a ele”, afirmou Ciro em entrevista à Rádio Bandeirantes nesta quarta-feira 24.

“O Doria não foi chamado, o Camilo Santana, aqui do Ceará, não foi chamado, só para mostrar claramente que nem pela direita e nem pela esquerda o Bolsonaro está interessado em abrir um diálogo que tire a politicagem do meio. Essa reunião é só politicagem. A base do Bolsonaro sentiu ‘fogo no rabo’ e resolveu tentar interditá-lo”.

“O Brasil precisa antecipar vacina e, para isso, precisa sair do fim da fila das relações internacionais”, acrescentou Ciro, citando a urgência da demissão do chanceler Ernesto Araújo e do ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles.

Para o ex-ministro, também é necessária a adoção de um lockdown até que seja realizada a vacinação em massa da população, mas com um robusto programa de auxílio financeiro.

Fonte: Carta Capital