Elon Musk teria feito um acordo de fornecimento de níquel com a Vale, mineradora brasileira (PATRICK PLEUL/POOL/AFP via Getty Images)
Elon Musk teria feito um acordo de fornecimento de níquel com a Vale, mineradora brasileira (PATRICK PLEUL/POOL/AFP via Getty Images)
  • Metal é usado na confecção das baterias dos veículos elétricos da Tesla;
  • Elon Musk está querendo cessar suas importações do níquel russo;
  • Rússia é responsável pela produção de 17% do níquel tipo 1 do mundo.

De acordo com a agência de notícias Bloomberg, a Tesla, empresa de veículos elétricos do bilionário Elon Musk, teria feito um acordo secreto com a Vale, mineradora brasileira. O objetivo seria garantir o fornecimento de níquel para as fábricas da montadora.

O níquel, apesar de não ser um metal tão valioso como o ouro, ou raro como ródio, é essencial na fabricação das baterias dos veículos elétricos. Com a tendência do mercado e a promessa dos governos de renovar suas frotas nas próximas décadas, a extração do metal se tornará cada vez mais importante.

Por conta disso, Elon Musk fez um apelo às mineradoras do mundo, pedindo que aumentem a produção do mineral e oferecendo contratos estáveis e valiosos para quem o fizer de forma ecológica.

“Por favor, extraiam mais níquel das minas. A Tesla vai dar um contrato gigante por um longo período a quem extrair níquel de forma eficiente e ambientalmente prudente”, disse Musk.

O momento histórico, no entanto, deve ter pesado ainda mais na decisão de Musk na hora de realizar o contrato com a Vale. O bilionário não só acatou às sanções impostas à Rússia pelo início do conflito armado, como tomou como objetivo pessoal auxiliar a Ucrânia, tendo inclusive convidado o presidente russo, Vladimir Putin para um duelo.

Acontece que o país é responsável por 17% da capacidade global de produção do níquel tipo 1. O bilionário está buscando, então, formas de se ver independente das empresas russas na produção de seus veículos.

Para a Vale também é um bom momento para aceitar o contrato, desde a invasão o preço do níquel subiu 30% na bolsa de Londres, onde é negociado.