Embraer – projetos

Aeronaves elétricas de decolagem e pousos verticais/ Fonte: AeroMagazine

Os projetos entre a Embraer e a Kenya Airways, irá estabelecer uma base de conceitos e procedimentos para a operação de aeronaves elétricas de decolagem e pousos verticais

Hoje pela manhã, a Eve, uma empresa da Embraer, assinou um Memorando de Entendimento com a Kenya Airways, por meio de sua subsidiária integral Fahari Aviation. Esta colaboração tem como objetivo desenvolver novos projetos operacionais para a ampla acessibilidade da Mobilidade Aérea Urbana (UAM) em apoio aos principais mercados da Fahari Aviation. Veja ainda esta notícia: Embraer, a terceira maior fabricante de jatos do mundo, constrói pista exclusiva de terra para testar o maior avião já feito no Brasil, o gigante cargueiro militar C-390

O projeto da Embraer e da Kenya Airways

A Fahari Aviation, divisão voltada a Sistemas de Aeronaves Não Tripuladas (UAS) da companhia aérea africana Kenya Airways, promove o uso seguro de UAS na região e será apoiada pela Eve no estabelecimento de sua rede UAM, contribuindo com a elaboração de requisitos para projetos e ambiente operacional necessários para a Gestão do Tráfego Aéreo Urbano (Uatm).

A parceria entre a Kenya Airways e a Embraer irá desenvolver uma estratégia robusta para fornecer aos passageiros da Fahari Aviation uma opção de transporte sustentável, acessível e econômica. Estima-se que o uso do EVA do aeroporto para o centro da cidade pode reduzir as viagens convencionais em até 90%, transformando uma hora e meia de viagem em um voo de 6 minutos.

Novas tecnologias utilizadas no projeto

O veículo totalmente elétrico da Eve, empresa da Embraer, foi projetado para ser acessível a todos, com baixo ruído e sem emissões de carbono. Totalmente adequado ao conceito de UAM, o veículo aproximará todos os viajantes tradicionais da aviação ao seu destino de forma eficiente e confortável.

Andre Stein, presidente & CEO da Eve (empresa da Embraer), diz que “Estamos entusiasmados em fazer parceria com a Kenya Airways para fornecer novas formas de mobilidade aérea para pessoas e carga em toda a região. A criação de soluções disruptivas e amplamente acessíveis de Mobilidade Aérea Urbana ajudará a democratizar a mobilidade, tornando-a mais acessível, econômica e oferecendo mais opções às comunidades. Essa parceria promoverá estratégias de mobilidade de longo prazo em todo o país e região. Com o apoio de nossas aeronaves e serviços aeroespaciais e a abordagem inovadora da Kenya Airways para a mobilidade aérea, estamos animados em abrir esta região para acesso aéreo mais sustentável e amigável a todos”.

Confira também esta notícia: Carros voadores da Embraer fazem sucesso e empresa produzirá mais 50 veículos para entregar em 2026

A Embraer está fazendo diversas parcerias para os seus carros voadores. Na semana passada, a empresa fez um contrato para 200 veículos voadores, nesta semana, serão mais 50. Ela afirmou que também já está com uma nova parceria fechada com a Uber para projetos futuros.

Na parceria da Eve Urban Air Mobility, subsidiária da Embraer e a Helisul Aviation, uma empresa que trabalha com helicópteros, estão inclusos 50 carros elétricos de decolagem e pouso vertical, conhecidos como eVTOL, com data prevista para entrega em 2026. Na semana passada, a empresa que trabalha com os carros voadores, Embraer, anunciou que recebeu uma encomenda da Halo, que envolvia cerca de 200 unidades do eVTOL também para 2026. Segundo a Embraer, o pedido da Halo é a maior encomenda de carros voadores no setor de mobilidade aérea urbana.

O acordo com a Halo também previa que a empresa trabalhasse em conjunto com a Embraer para a criação de uma nova operação de veículos voadores nos Estados Unidos e Reino Unido. Voltando para o acordo com a Helisul, de início as empresas irão trabalhar com helicópteros para analisar parâmetros que possam ser utilizados futuramente pelos carros voadores. A parceria entre as empresas também promete desenvolver serviços e produtos que permitem as operações dos veículos como, por exemplo, soluções de gerenciamento de tráfego aéreo.

Fonte: Click Petróleo e Gás