Nova usina nos Emirados Árabes Unidos pretende converter resíduos em energia, para minimizar a problemática com acúmulo de lixo.

Usina - Emirados-Arabes-Unidos - petróleo - Lixo
Usina de Sharjah começará a funcionar ainda este ano e vai queimar mais de 300 mil toneladas de resíduos a cada 12 meses GIUSEPPE CACACE / AFP

Os Emirados Árabes Unidos, atualmente um dos maiores exportadores mundiais de petróleo, está se dedicando à construção de uma das maiores usinas do Golfo, com o intuito de converter resíduos em energia. Seu principal objetivo é diminuir o problema do acúmulo de lixo, fazendo com que energia seja gerada a partir de residuais.

Ambientalistas consideram inviável o plano dos Emirados Árabes Unidos 

Grupos ambientalistas ainda não estão seguros do que o governo dos Emirados Árabes Unidos está se propondo a fazer, com relação ao lixo. E afirmam que o melhor a fazer com a problemática crônica de lixo é reciclar, fertilizar e investir na mudança de hábitos da população, que por ser muito consumista acaba gerando mais desperdício. 

Os ambientalistas também estão alertando o governo sobre o alto risco de contaminação pelos incineradores a gás, que emitem CO2. 

A nova usina dos Emirados Árabes Unidos se chamará Sharjah e começará a funcionar ainda em 2021. Estima-se que a usina irá queimar mais de 300.000 toneladas de resíduos por ano, para fornecer energia a cerca de 28.000 casas. Em Dubai, uma outra usina está sendo construída, com o custo avaliado em 1,2 bilhão de dólares, de acordo com a Hitachi Zosen Inova, uma das empresas associadas ao projeto. 

Quando a usina estiver concluída, provavelmente em 2024, a unidade de Dubai será uma das maiores do mundo, com capacidade de receber cerca de 1,9 milhão de toneladas de resíduos a cada 12 meses, que dá em torno de 45% do lixo caseiro dos Emirados. 

Problemática crônica de lixo nos Emirados Árabes Unidos 

A produção de lixo nos Emirados Árabes Unidos dobrou assim que passou de uma simples região desértica para um grande e próspero centro empresarial. Além disso, o consumo de energia local também cresceu muito, cerca de 750%, desde 1990, de acordo com a Agência Internacional de Energia. 

A população atual é de 10 milhões de habitantes, cinco vezes maior do que há 30 anos. Os Emirados Árabes Unidos utilizam cada vez mais energia elétrica e produz ainda mais resíduos, em média 1,8 quilo diário de lixo por pessoa. 

Reciclagem do lixo nos Emirados 

Nos Emirados Árabes há diversos aterros sanitários. Em Dubai há pelo menos seis aterros que ocupam uma área de 1,6 milhão de metros quadrados, de acordo com a prefeitura. 

Sem muitas soluções, a cidade fez uma estimativa de que os aterros irão possivelmente ocupar cerca de 5,8 milhões de metros quadrados no emirado até o ano de 2041. 

O país vem tentando diversificar sua matriz energética há algum tempo, pois depende em mais de 90% das usinas de gás para ter energia. A meta atual do país agora é alcançar a neutralidade de carbono até o ano de 2050.

Fonte: Click Petroleo e Gás