A Marinha concluiu a nova redação da política do Brasil na Antártida, chamada Polantar (Política Nacional para Assuntos Antárticos), que define as diretrizes para o país fazer explorações e pesquisas científicas no continente. A proposta chega às mãos de Bolsonaro em um momento de atraso nas pesquisas de campo na pandemia, além dos questionamentos sobre gestão ambiental do governo. O texto requer atualização porque a primeira versão é anterior ao tratado de 1998.

Fonte: Folha de S. Paulo