Pampa desmatamento

O Pampa é o bioma brasileiro que proporcionalmente mais perdeu vegetação nativa nas últimas três décadas. De acordo com dados do MapBiomas, o Pampa perdeu 2,5 milhões de hectares de área verde nativa entre 1985 e 2020, um decréscimo de 21,4%.

Um dos fatores por trás dessa perda está no avanço da agricultura, que ganhou mais de 1,9 milhão de hectares de lavoura nesse período. Atualmente, a atividade agrícola abrange 39,9% do território, bem acima dos 29,9% de 1985. Já as formações campestres ocupam hoje 32,6% do território do Pampa, abaixo dos 46,2% de 35 anos atrás.

“A substituição da formação campestre pela agricultura favorece a perda de biodiversidade e liberação de carbono na atmosfera, contribuindo para o efeito estufa. Mas é também um desvio de uma vocação econômica natural do Pampa”, alertou Heinrich Hasenack, professor da UFRGS. “Ao contrário da Amazônia ou do Cerrado, onde é preciso desmatar para criar gado, no Pampa a vegetação nativa é um pasto natural, o que permite que a pecuária se desenvolva preservando a paisagem”.

Fonte: Clima Info