O ex-presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) e ministro aposentado do Supremo Tribunal Federal (STF) Carlos Ayres Britto afirmou em entrevista à CNN que se o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) não provar as acusações contra a urna eletrônica, o chefe do Executivo terá cometido um delito.