Presidentes chinês e norte-americano conversam por videoconferência nesta 6ª feira (18.mar) sobre guerra na Ucrânia.

O presidente da China, Xi Jinping, disse ao presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, que o “mundo não é tranquilo nem estável”. A informação foi divulgada pela porta-voz do governo chinês Hua Chunying.

A crise na Ucrânia não é algo que queremos ver. Os eventos mostram novamente que os países não devem chegar ao ponto de se encontrar no campo de batalha. Conflito e confronto não são do interesse de ninguém”, publicou a porta-voz em seu perfil do Twitter.

Os presidentes das duas potências mundiais conversam por videoconferência nesta 6ª feira (18.mar.2022) para discutir as ações e declarações dos chineses na guerra. A porta-voz da Casa Branca, Jen Psaki, afirmou ser “importante” que exista um alinhamento entre a China e os EUA quanto ao conflito.

Segundo a porta-voz chinesa, o presidente chinês falou também sobre a forma como a China e os Estados Unidos devem conduzir suas relações no “caminho certo”. Mas também disse que como integrantes permanentes do Conselho de Segurança da ONU (Organização das Nações Unidas), os países devem assumir suas parcelas “de responsabilidades internacionais e trabalhar pela paz mundial e tranquilidade”.

Na 2ª feira (14.mar), um representante da Casa Branca afirmou que o governo dos EUA disse ter preocupações ante o alinhamento da China à Rússia.

Segundo reportagens do Financial Times e do New York Times, autoridades dos Estados Unidos teriam dito que o país solicitou equipamentos militares e outras assistências desde o início da guerra. Além de armamentos, o pedido russo incluiria ajuda econômica para enfrentar as sanções impostas contra a Rússia.

Pequim e Moscou negaram negociação para ajuda militar na Ucrânia. O governo chinês afirmou que “o lado dos EUA” estava vendendo “desinformação contra a China” e que as intenções seriam “sinistras”.

O conselheiro nacional de segurança americano, Jake Sullivan, se reuniu com o diplomata chinês Yang Jiechi na 2ª feira (14.mar0, afirmando que Washington alertou para penalidades e sanções contra Pequim, caso alguma ajuda seja efetivada. O governo chinês nega qualquer gesto à Rússia, tendo classificado a suposta aproximação como “desinformação”.

23º DIA DE GUERRA

Os conflitos entre Ucrânia e Rússia entram nesta 6ª feira (18.mar) no 23º dia. Há expectativa de conversa entre os presidentes de Estados Unidos e China –Joe Biden e Xi Jinping, respectivamente– para discutir a posição dos chineses na guerra.

A porta-voz da Casa Branca, Jen Psaki, afirmou ser “importante” que existaum alinhamento entre a China e os EUA quanto ao conflito.

Mísseis atingiram nesta 6ª uma fábrica de reparos de aeronaves em Lviv, nas proximidades do aeroporto da cidade. Segundo o prefeito, Andriy Sadovy, a fábrica foi parada e não houve vítimas.

Dados da ONU indicam que quase 3,2 milhões de pessoas já deixaram a Ucrânia desde 24 de fevereiro, quando as forçar russas invadiram o país. “Este número continuará a aumentar como resultado da contínua agressão russa”, disse o Ministério da Defesa do Reino Unido.

Fonte: Poder 360